concurseiro

concurseiro

Concurseiro: Depois da prova, já é hora de largar os estudos? Ainda não!

Elo logo mini

Depois de meses de espera, você fez a prova do concurso que tanto se preparou. Mas saiba que a caminhada ainda não terminou. Na verdade, ela só acaba quando você é aprovado. Por isso, não é hora de chutar o balde. Descansar é válido, mas é preciso que o concurseiro tenha cuidado para não perder o ritmo de estudos. Veja a seguir algumas dicas sobre como se comportar depois de fazer a prova do seu concurso.

Descanse por um pequeno período.


Não há nada de errado em descansar por um tempo assim que fizer sua prova. Na verdade, depois de meses de estudo intenso, um descanso é uma necessidade para o corpo e a mente. O problema é quando esse período dura tempo demais e você acaba perdendo o ritmo de estudos. Não deixe que isso aconteça!

Por mais que você acredite que foi muito bem no concurso, você só sabe se realmente passou quando sai a classificação. Mesmo assim, ainda não saberá quanto tempo irá demorar pra ser chamado.

Sempre fique na sala o número mínimo de horas para poder levar a prova para casa. Conferir o gabarito e ver o que errou é uma das coisas mais importantes que você pode fazer depois da prova. Pode ter certeza, você jamais errará novamente questões parecidas com as que errar na prova de um concurso. Isso já será um grande aprendizado!

Depois disso descanse, mas com parcimônia. Pensamentos como “eu estudo quando me sentir descansado” são convites para a preguiça. Estabeleça um período entre uma semana e 10 dias e volte à rotina de estudos. Durante o seu descanso, esqueça os concursos; esqueça as notícias e os fóruns. Descanse para recuperar as energias e retomar a antiga rotina, mas fique atento ao prazo dos recursos.

Retome aos poucos.


Quando retomar os estudos, o concurseiro dificilmente conseguirá voltar ao mesmo ritmo de antes. Não ele não deve ser preocupar, isso é natural. O importante, principalmente nos primeiros dias da retomada, é reacostumar seu corpo ao estudo intenso. Faça exercícios, revisões e evite conteúdos muito pesados, que você tenha dificuldade.

Também é importante, caso já não o tenha feito, redefinir seu foco. Caso já haja algum edital em vista, faça o levantamento das matérias que costumam cair e quais são os conteúdos que ainda não travou contato. O ideal é que você faça a escolha por um certame que tenha o máximo de matérias parecidas com o concurso que acabou de fazer, apesar de nem sempre isso ser possível.
Lembre-se do que já discutimos aqui no Guia do Concurseiro: planejamento é tudo.

Agora que você focará em um novo concurso, precisa saber quais são as principais diferenças entre as bancas, caso não seja a mesma. É preciso identificar o peso de cada uma das matérias nas provas anteriores e qual é a expectativa de lançamento do edital. Crie uma agenda que intercale o estudo de novos conteúdos com a revisão de matérias que já estudou e que caem no próximo concurso.

Olho nos recursos.


A fase de recursos, principalmente em concursos muito disputados, pode ser o que separa você da aprovação. Muitas vezes, apenas uma questão é suficiente para fazer o concurseiro subir várias posições na classificação e acabar conquistando a vaga. O prazo e as regras para os recursos costumam estar presentes no edital do concurso.

Nos recursos, seja objetivo e direto. Em geral, você pode fazer apenas um por questão e pode pedir tanto a sua anulação como a alteração do gabarito, no caso das objetivas. Em ambos os casos, todos os candidatos são afetados pela alteração.

Especialmente para os recursos nas respostas discursivas, é interessante que o candidato busque a ajuda de um professor especialista na área. Ele poderá fundamentar o recurso com muito mais informações.

Guia do Concurseiro

Fonte: Elo Concursos

Formas de Pagamento

85% de aprovação em concursos
SSL