Erros de quem estuda para concursos

Erros de quem estuda para concursos

Erros de quem estuda para concursos

Elo logo mini

Listamos alguns erros cometidos pelos concurseiros


curso para concursos

Quando se decide entrar no mundo dos concursos, devemos ter em mente que não será tarefa fácil, teremos que nos impor regras e principalmente cumpri-las. Tem que haver dedicação e muito estudo para conseguir a sonhada vaga para carreira pública.

Listamos alguns erros cometidos pelos concurseiros. Se você se encaixa em algum desses erros, está na hora de rever seus estudos e mudar para obter um resultado melhor.

Não ler o edital
O edital é um documento importante. Nele consta todas as informações: prazo de inscrição, data das provas, locais de provas, conteúdo, gabarito etc.
Ler o edital é fundamental, nele estará o norte que seus estudos devem tomar e você irá se preparar da melhor maneira e de forma objetiva. Leia com atenção! E você não terá dúvidas antes, durante ou depois da prova.

Não ter um cronograma de estudos
A organização dos seus estudos o ajudará a ter a mente mais tranquila e acostumada com uma rotina, podendo também abrir momentos de lazer, trabalho, atividade física, descanso etc.
Ter um ritmo definido é importante para seu corpo acostumar. Não adianta estudar muito em um dia e nos outros dias nem abrir os livros, o conteúdo não fixará em sua mente e o único ganho que terá é a exaustão.

Não conhecer o seu ritmo
Ao definir sua rotina de estudos, saiba qual o seu limite. Não baseie seus estudos de acordo com outras pessoas, e sim, no que você aguenta. Cada um possui um ritmo e os horários que possuem mais rendimento.
Não respeitar o limite do seu corpo pode gerar estresses, desequilíbrios emocionais e físicos, atrasando seu ritmo de estudos. Então, é melhor optar por qualidade e não quantidade, isto é, estudar pouco, mas estudar com vontade e afinco.

Não ter um cronograma das matérias
Muitos candidatos não sabem por onde começar os estudos e acabam por estudar as matérias de forma aleatória. Juntamente com o cronograma de estudos, é preciso distribuir as matérias e os momentos em que elas serão estudas, para garantir que, até o dia do concurso, todos os conteúdos tenham sido contemplados, estudados e revisados.
Além disso, é importante seguir uma sequência de modo que seja mais fácil a assimilação e memorização. Também, uma boa dica é iniciar pelas matérias que o estudante tenha mais dificuldade. Assim, quando já tiver percorrido um longo período de estudos e o cansaço estiver mais presente, estudar as matérias que há maior facilidade ajuda na continuação dos estudos.

Não investir em materiais seguros
Um grande erro é investir em materiais de baixa qualidade, preferir os mais baratos, apostando seus estudos em materiais ruins, incompletos e desatualizados. Sendo assim, o candidato deve investir em matérias de qualidade e atualizados para não cair nas “pegadinhas” das bancas no momento das provas.
Cursos de qualidade você encontra aqui! ;) 

Esperar o edital para começar a estudar
Quando souber de algum concurso desejado já comece a estudar, não espere sair o edital ou a divulgação da banca organizadora. Baseie seus estudos pelo edital passado, pois quando sair o edital oficial do ano você já terá uma base de estudos e só precisará reformular algumas coisas e continuar no ritmo. Não deixe para última hora, comece o quanto antes

Não conhecer a banca examinadora
O estilo de cada concurso geralmente é determinado pelo estilo da banca que irá coordenar a seleção. Cada banca possui suas peculiaridades, sua própria maneira de construir as questões. Por isso, é de suma importância que o candidato conheça a banca que irá realizar o concurso no qual irá pleitear uma vaga.
As bancas, para se diferenciarem uma da outra, realizam provas de diversos estilos. Muitas possuem suas próprias "pegadinhas" e macetes, portanto, se o candidato não está familiarizado com essas características, será mais difícil identificar e obter êxito em cada questão. Não conhecer a banca poderá desperdiçar todo estudo e esforço empregado para o preparo daquele concurso em específico. Por exemplo: o Cespe/UnB costuma elaborar provas do tipo Certo e Errado, em que uma resposta errada anula uma certa, portanto, o candidato que já vai para a seleção sabendo disso, estará mais atento e preparado. Já outras grandes, como Cesgranrio e Fundação Carlos Chagas (FCC) costumam realizar avaliações do tipo múltipla escolha, onde há apenas somatório de pontos, mas exigência mínima de acertos por área para aprovação.

Formas de Pagamento

85% de aprovação em concursos
SSL