Concurso Banco Central 2017

Concurso Banco Central 2017

Concurso Banco Central 2017: Solicita 990 vagas

Elo logo mini

Concurso Banco Central 2017 solicita 990 vagas ao Ministério do Planejamento para os cargos de técnico, analista e procurador


[ATUALIZADA 26/06] O Sistema Eletrônico do Serviço de Informações ao Cidadão informou que Concurso Banco Central 2017 solicitou as mesmas oportunidades do último requerimento. O pedido encaminhado ao Ministério do Planejamento, Orcaçmento e Gestão (MPOG), no dia 31 de maio, contempla 990 vagas, sendo 800 para analista, 150 para técnico e 40 para procurador.

A função de técnico exige nível médio e oferece salário inicial de R$6.463,44. Os cargos de analista e procurador exigem nível superior em diversas áreas de atuação e possuem remuneração de R$16.286,90 e R$17.788,33, respectivamente. Todas as remunerações citadas incluem o auxílio-alimentação no valor de R$458,00.

Atualmente, o Banco Central conta com mais de 2.000 cargos vagos, o que equivale a 36% do quadro de servidores. O deficit total é de 2.356 servidores, sendo 1.944 analistas, 289 técnicos e 123 procuradores.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]



[ATUALIZADA 02/06] O Concurso Banco Central 2017 para os cargos de analista, técnico e procurador está em espera, mas não será adiado por muito tempo deivo ao grande déficit de pessoal. De acordo com os dados divulgados pela autarquia, o banco fechou o ano de 2015 com 316 servidores a menos do que quando o último concurso solicitado em 2012.

A seleção aberta em 2013 teve oferta inicial de 515 vagas, mas não foi suficiente para suprir as vacâncias da solicitação anterior, principalmente por causa das aposentadorias.

Recentemente houve alteração para ingresso nas áreas funcionais do banco, por meio da Lei nº 13.327, o concurso para provimento do cargo de técnico será realizado em etapa única por meio de provas objetivas e discursivas. Para os analistas por meio de prova objetiva e discursiva, além de curso de formação e no cargo de procurador provas objetivas, discursivas e prova de títulos.

Segundo a lei, para ingresso no cargo de técnico na área de especialização voltada para segurança, contará com prova objetiva e discursiva, além de prova de aptidão física e avaliação psicológica. O documento também define que a instituição deve contar com um efetivo de 6.470 servidores, entre técnicos, de nível médio, e analistas e procuradores, ambos de nível superior.

Atualmente, o Banco central é composto por 4.187 funcionários e o déficit chega a 37%, somando um total de 2.283 cargos vagos.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]



[ATUALIZADA 11/07/2016] Na última quinta-feira, 7 de julho, o Ministério do Palnejamento recusou o pedido de Concurso Banco Central para 2017, o que deve deixar o órgão durante três anos sem novos servidores. Ex-gestor federal e servidor de carreira do banco informa que a sociedade é a que mais vai ser prejudicada, pois a instituição é essencial para recuperação econômica do país.

O Banco Central tinha solicitado 990 vagas, sendo 15 para técnico de nível médio, 800 analista de nível superior e 40 de procurador com graduação em Direito. Os salários iam de R$6.463,44 a R$17.778,33.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]


[ATUALIZADA 15/06] Mesmo com as restrições dos concursos federais, o Sindicato dos Funcionários (Sinal) já afirmou que vai lutar pela liberação do certame Banco Central para 990 vagas de técnico, analista e procurador. A insituição precisa que a solicitação seja autorizada para evitar cenário crítico no quadro de servidores.

As vagas para técnico são de nível médio, com remuneração inicial de R$6.463,44. Já as vagas de analista e procurador são de nível superior, com salário inicial de R$16.286,90 e R$17.788,33, respectivamente.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]


[ATUALIZADA 07/06] Na última sexta-feira, 3 de junho, o Banco Central do Brasil (BC, Bacen ou BCB) enviou uma nova solicitação ao Ministério do Planejamento para abertura de um novo concurso. O pedido foi de 990 vagas em cargos de nível médio e superior, com salários de até R$17.788,33.

A expectativa é que seja autorizado com urgência já que o déficit no quadro de servidores do órgão é considerado grave.

Cargos - Nível Médio
150 vagas para técnico com remuneração inicial de R$6.463,44.

Cargos - Nível Superior
800 vagas para analista com salário de R$16.286,90.
40 vagas para procurador de R$17.788,33.

Os valores já incluem auxílio-alimentação de R$458,00.

De acordo com a assessoria de imprensa, se o concurso for autorizado, a admissão será escalonada, ou seja, 495 vagas preenchidas em 2017 e 495 em 2018.


[FIM DA ATUALIZAÇÃO]


[ATUALIZADA 08/04] Nesta sexta-feira, 08 de abril, os representantes do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) e o comitê do Banco Central (BC) se reunirão para discutir também sobre o próximo concurso, cuja solicitação de autorização será enviada até o fim de maio ao Ministério do Planejamento.

Luiz Edson Feltrim é diretor de Administração da autarquia e costuma contar com a presença do Chefe do Departamento de Gestão de Pessoas (Depes), Nilvanete Ferreira. O Depes é responsável pelos concursos do banco. A expectativa é que o encontro traga novidades sobre o pedido a ser enviado ao Ministério do Planejamento.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]

O Departamento de Gestão de Pessoas (Depes) do Banco Central está em fase de elaboração de pedido ao Ministério do Planejamento para abertura do Concurso do Banco Central. A informação é que até o dia 31 de maio de 2016 o pedido já tenha sido enviado. Com a grande carência no quadro efetivo e com previsão de muitas aposentadorias, a expectativa é que muitas vagas sejam disponibilizadas para esse certame.

Das 6.470 vagas para técnicos, analista e procurador, 2.000 estão desocupadas, cerca de 30% do efetivo. O Depes afirma estar trabalhando com cautela na questão desse concurso, tendo em vista a atual situação das contas públicas. O último concurso realizado tem validade até junho deste ano, e a seleção para técnico e analista encerrou em novembro de 2015. Então, as chances são que sejam abertas vagas para os três cargos.

Para o cargo de técnico é necessário o ensino médio completo. Com o reajuste, o salário inicial passa a ser de R$6.463,44 (já incluso o auxílio alimentação de R$458,00). Portanto, há um projeto de lei encaminhado ao Congresso Nacional que altera o requisito para a formação superior. Há possibilidades que até a abertura do edital essa lei já esteja em vigor.

Já para o cargo de analista, a exigência é ensino superior completo, em qualquer área. E tem salário inicial de R$16.286,90. O cargo de Procurador é necessário graduação em Direito, registro na OAB, e, no mínimo, dois anos de prática forense, e tem salário inicial de R$17.788,33

As últimas seleções para técnico, analista e procurador, aconteceram em 2013 e foi coordenada pelo Cespe/UnB. Os candidatos interessados devem começar seus estudos, mesmo que ainda não tenha saído o edital, é bom ter como base os editais passados.

Formas de Pagamento

85% de aprovação em concursos
SSL