Morador de rua passa em 1º lugar em Concurso Público

Elo logo mini

Valter dos Santos era da Bahia e foi buscar emprego em Patos de Minas/MG


Valter Fonseca dos Santos, de 41 anos, vai trocar as ruas por um emprego. O sonho que dura 16 anos será possível porque passou em 1º lugar no Concurso Público da Prefeitura de Patos de Minas para o Cargo de Coveiro. Ele disputou as três vagas abertas com outras 21 pessoas. O primeiro investimento do novo funcionário público será para alugar uma casa para morar.

Há 16 anos Valter dos Santos saiu de Ilhéus/BA para tentar a sorte na cidade mineira, mas a falta de emprego e oportunidade acabou fazendo com que o sonho fosse adiado. “Nasci numa favela, num local onde brigas e crimes eram frequentes. Mas nunca quis isso para a minha vida e depois de ter uma decepção amorosa não pensei duas vezes em ir embora. Um conhecido comentou de Patos de Minas e eu tentei a sorte, mas foi tudo bem diferente do que eu pensava”, lembrou.

Ele disse que no início chegou a trabalhar em uma lavoura de tomates para garantir pelo menos o sustento, mas logo que a safra terminou, ele foi para a rua. “Passei por muito preconceito, tanto pela situação de rua que eu me encontrava como também pela minha cor. Várias vezes fui abordado pela polícia, perseguido e agredido por populares. Até o colchão que usava para dormir foi queimado. A vida nas ruas não é nada fácil”, afirmou.
 
  • Busca por emprego
O morador de rua contou que o fato de não ter endereço físico causou vários empecilhos na busca de um emprego fixo. Por isso, muitas vezes a forma de conseguir sobreviver foi fazendo “bicos”.

Valter contou que olhava os carros nas ruas, fazia serviço de servente e limpava quintais. Às vezes, ganhava apenas R$2,00, mas isso já o ajudava a comprar algo para comer. Mesmo na situação difícil, nunca deixou a fé de lado e sempre que podia frequentava um centro espírita da cidade, aonde chegou até a terminar os estudos sobre a doutrina.

Na passagem pelas ruas, conheceu o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS). E foi por meio da diretora de proteção social especial, Maria Augusta de Lacerda Ferreira, que veio a ideia de fazer o concurso. O edital foi divulgado em maio deste ano. “Maria Augusta foi quem me apresentou o CREAS e tentou por diversas vezes conseguir um emprego para mim. Sem sucesso, logo que o edital foi divulgado ela me incentivou a participar da concorrência. Eu pensava que não seria capaz, mas com o apoio que recebi resolvi tentar”, contou.

Após a inscrição, a rotina mudou e os livros e materiais preparatórios ganharam espaço na vida dele. Como já tinha o ensino médio, optou pela vaga de coveiro, profissão que sempre chamou a atenção. “Eu tive que me dedicar muito. Estudava nos bancos da praça ou em qualquer lugar que eu estava. Pelo menos quatro vezes no dia eu pegava nos livros e nos materiais que a Maria Augusta conseguiu para que eu estudasse. Lembro que ela me exigiu, ‘em troca da ajuda’ o 1º lugar do concurso e foi isso que aconteceu. Tive quatro meses para me preparar”, afirmou.
 
  • Resultado
Nesta terça-feira, 08 de dezembro, foi divulgado o resultado definitivo da prova objetiva, e Valter dos Santos não se cansa de ver o nome no topo da classificação. O cargo que ele pleiteava tinha 21 candidatos inscritos para 3 vagas, ou seja, 07 candidatos por vaga. “De 30 pontos eu tirei 26. Eu não esperava por isso, pois achava que os demais candidatos eram mais capacitados que eu. Essa não é uma conquista só minha, tive a ajuda de Deus e do pessoal do Creas, que ‘pegou no meu pé’, ‘puxou minha orelha’ e me fez acreditar em algo que talvez nem eu mesmo tinha crença”, disse.

Agora ele aguarda ser convocado para assumir a função, que tem salário prevista de R$805,18, mais benefícios como vale-alimentação, vale transporte e plano de saúde. “A primeira coisa que vou fazer com meu salário é alugar uma casa para morar. Tive a chance e vou aproveitá-la bem. Quero ainda construir uma família e ser feliz, pois eu acredito que eu mereço”, concluiu.
 
  • Mão amiga
Maria Augusta foi quem incentivou Valter Fonseca na caminhada rumo ao serviço público. Ela contou que descobriu o morador de rua em uma das rondas do Creas - Unidade Pública da Política de Assistência Social onde são atendidas famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados.

Ela contou que o convidou para conhecer o Creas e, a partir daí, tiveram um contato profissional maior. “Eu consegui encaminhá-lo para um albergue e reformular o currículo dele. Pelo menos três vezes por semana ele passava pelo Creas e numa de nossas conversas falei da possibilidade do concurso com ele”, comentou.
Maria Augusta lembrou que Valter chegou a dizer para ela que não daria conta de passar e foi então que ela reforçou o apoio. “Eu sabia da vontade dele em trabalhar e constituir família. Consegui alguns materiais para que ele pudesse estudar. Também arrumei exercícios para que ele fizesse e retornasse para eu corrigir. O que ele não conseguia fazer, eu o ajudava”, acrescentou.

Para a diretora de proteção social especial, ver o nome dele na lista como primeiro colocado na função escolhida foi emocionante. “Senti uma alegria enorme por essa conquista. Foi como ver o resultado positivo de um dos meus filhos”, vibrou.

Maria Augusta acrescentou que Valter nunca havia prestado um concurso na vida, mas que mostrava ser uma pessoa inteligente e com vontade de aprender. “Ele errou apenas duas questões de português e duas de conhecimentos gerais. Em raciocínio lógico ele tirou dez. Eu confiei nele e acredito que todo o trabalho e esforço feito valeram a pena”, concluiu.
 
  • Conteúdo Cobrado – Cargo de Coveiro
Língua Portuguesa: Leitura e compreensão de textos, informações de pequenos textos; estabelecer relações entre sequência de fatos ilustrados; Conhecimento da língua: ortografia, acentuação gráfica, pontuação, masculino e feminino, antônimo e sinônimo, diminutivo e aumentativo. Divisão silábica.

Raciocínio lógico: Raciocínio verbal; Raciocínio sequencial (sequências lógicas envolvendo números, letras e figuras); Raciocínio Espacial e Raciocínio Temporal. Comparações. Calendários. Numeração. Contagem, medição, avaliação e quantificação. Simetria. Questões envolvendo o entendimento das estruturas lógicas de relações entre pessoas, lugares, coisas ou eventos; problemas sobre as quatro operações fundamentais da matemática.

Conhecimento Específico: Domínio de tópicos relevantes de diversas áreas, tais como: política, economia, sociedade, educação, tecnologia, energia, relações internacionais, desenvolvimento sustentável, segurança, artes e literatura e suas vinculações históricas, a nível municipal, regional, nacional e internacional.


Fonte: G1

Formas de Pagamento

85% de aprovação em concursos
SSL