Concurso Polícia Federal (PF) 2017: Envia pedido para MPOG

Elo logo mini

Concurso Polícia Federal (PF) 2017 envia pedido de 1.758 vagas em diversos cargos para o Ministério do Planejamento, confira!
 

curso de perito pf



[ATUALIZADA 19/06] O pedido para liberação de verbas para realização Concurso Polícia Federal (PF) 2017 voltaram a tramitar no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) para ofertar 1.758 vagas, sendo 600 para o cargo de escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para peritos. O processo estava parado no órgão desde junho de 2016 e voltou a tramitar no dia 19 de maio de 2017, quando o pedido foi reencaminhado para os setores do Ministério.

A divulgação do edital depende da liberação de verba para posse dos aprovados, uma vez que a PF não precisa de autorização do MPOG para abrir a seleção, de acordo com o decreto 8.326, de 10 de outubro de 2014. No documento consta que a PF pode inicar novo certame quando o quadro de pessoal contar com defasagem de pelo menos 5% dos servidores.

[ATUALIZADA 22/06] A Polícia Federal (PF) divulgou neste domingo, 21 de maio, a pretensão de abrir Concurso Polícia Federal (PF) 2017 para ofertar 1.758 vagas, porque com o caso de corrupção no país, o governo reduziu a equipe da corporação na operação da Lava Jato e cortou as verbas que estavam previstas para este ano na corporação. Com este cenário é difícil dizer se o órgão possui policiais suficientes para atender a demanda e se o atual governo vai suprir o déficit já existente na corporação.

[ATUALIZADA 09/03] De acordo com a corporação serão oferecidas 1.758 vagas Concurso Polícia Federal (PF) 2017, sendo 600 para o cargo de escrivão, 600 para agente, 491 para delegado e 67 para peritos. A Polícia Federal aguarda o parecer das condições financeiras do MPOG para divulgar edital do concurso.

De acordo com o decreto 8.326, de 10 de outubro de 2014, a PF não precisa de autorização e pode iniciar novo certame para seus cargos sempre que o quadro de pessoal contar com uma defasagem de pelo menos 5% dos servidores. Mas precisa saber se o Ministério do Planejamento dispõe de verbas para a posse dos aprovados.

Para concorrer aos cargos de agente e escrivão é exigido nível superior em qualquer área de formação, para perito é necessário ter nível superior em áreas específicas e para delegado é exigido nível superior em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, comprovados. Para todos os cargos é exigido Carteira Nacional de Habilitação na categoria "B".

Normalmente os aprovados são lotados nos postos de fronteira nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima. As aplicações de provas costumam ser realizadas em todas as capitais, menos o exame oral que ocorrem apenas em Brasília/DF.

[ATUALIZADA 22/02/17] A Polícia Federal (PF) tem pedido de dotação orçamentária protocolado pelo Ministério do Planejamento para realizar Concurso PF 2017 para as carreiras de agente e escrivão. O certame está autorizado para os cargos de agente, escrivão, delegado e perito, sendo que os dois últimos tramita em outro protocolo no Planejamento.

A expectativa é de que sejam ofertadas 1.758 vagas, sendo 600 para escrivão, 600 para agente, 491 para delegados e 67 para peritos. De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Boudens, a maior carência atualmente no órgão é na carreira de agente, que necessita de pelo menos 6 mil novos servidores para o cargo.

O processo que trata das carreiras de agente e escrivão estão no Ministério desde outubro na  coordenação da Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações do Trabalho no Serviço Público (SEGRT). Para concorrer aos cargos é preciso ter nível superior em qualquer área e os novos servidores cotarão com salário de R$12 mil, já incluso benefícios.

Para o cargo de delegado é preciso ter bacharelado em direito, além de experiência mínima de trê anos em atividade jurídica ou policial. No caso de perito é preciso ter formação conforme a área de atuação. As remunerações para ambos os cargos no início da carreira é de R$22 mil, já incluso auxílio-alimentação de R$458,00.

[ATUALIZADA 26/01/17] Os dois processos que tramitam em conjunto, desde setembro do ano passado para realizar Concurso PF 2017 nos cargos de agente e escrivão está em análise no Ministério do Planejamento. O órgão também deseja preencher vagas nos cargos de delegado e perito, a demanda para estes cargos também já estava no Planejamento.

Os processos do certame para os cargos de agente e escrivão já foram protocolados por alguns setores do Planejamento, mas desde o início de outubro estão na coordenação da Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações do Trabalho no Serviço Público (SEGRT). Apesar disso, no último dia 11 o órgão informou ter encaminhado a documentação.

No último dia 10 a demanda foi reiterado pelo diretor-geral da PF, Leandro Daiello, que autorizou o concurso para 1.200 vagas nos dois cargos, sendo 600 para cada, conforme o permitido pelo Decreto 8.326/14.

[ATUALIZADA 25/01/17] O presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Carlos Eduardo Sobral, alertou urgência Concurso PF 2017 para o cargo de delegado, pois 400 deles devem se aposentar nos próximos três anos. Além de já possui 491 vagas para a carreira desocupadas.

Além das 491 vagas para delegado, o órgão visa preencher 67 vagas no cargo de perito. Apesar de ter conquistado autonomia para realizar concursos, órgão depende da manifestação do Ministério do Planejamento da existência de verba para o preenchimento das vagas. Os aprovados ingressarão na carreira recebendo os novos valores que sofreram alterações este ano, com ganhos mensais no início da carreira de R$22.102,37

[ATUALIZADA 09/12/16] No último dia 30 de novembro, o Senado Federal aprovou o Projeto de Lei 78/16 que reajusta salário dos policiais federais e rodoviários federais. Agora o documento segue para sanção presidencial, que deve acontecer nos próximos dias, porque faz parte do acordo selado com os servidores e que o atual governo prometeu respeitar. O texto aprovado manteve os valores estabelecidos com o acordo.

Os valores iniciais da PRF que são de R$7.177,91 passam a ser R$9.501,98 a partir de janeiro do ano que vem, chegando a R$9.931,57 em 2018 e R$10.357,88 em 2019. E da PF, as remunerações iniciais para delegado e perito que são de R$17.288,85, sobe para R$22.102,37 em janeiro, R$23.130,48 em 2018 e R$24.150,74 em 2019. Todos os valores mencionados já estão inclusos o auxílio-alimentação de R$458,00.

[ATUALIZADA 31/10/16] Na última segunda-feira, 24 de outubro, foi aprovado pela comissão especial da Câmara dos Deputados o Projeto de Lei que reajusta os salários iniciais dos policiais federais e rodoviários federais. O projeto seguirá para o senado, para que a proposta seja votada em Plenário.

A PL prevê remuneração inicial, a partir de janeiro de 2017, de R$22.102,37 para delegado e perito da Polícia Federal, R$11.897,86 para agente, escrivão e papiloscopista, e R$9.501,98 para policial rodoviário federal, já incluso auxílio-alimentação de R$458,00 em todos os salários informados. Além de todos os cargos receberem outras duas parcelas previstas para 2018 e 2019.

Sendo aprovado pelo Senado, tornam mais atrativos os Concurso da PF e PRF que esperam liberação do Ministério do planejamento para selecionar 558 vagas de delegado e perito para a Polícia Federal e 1.500 vagas na carreira de policial para Polícia Rodoviária Federal.

[ATUALIZADA 01/08/16] Mesmo fora da suspensão do Poder Executivo Federal, o Concurso Polícia Federal 2016 ainda aguarda confirmação de verba do Ministério do Planejamento, para preencher 558 vagas de delegado e perito, ambos de nível superior. Mesmo que a carência maior hoje no órgão seja de agente, de acordo com o presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), Luís Boudens, que aponta necessidade de contratação de pelo menos 6 mil novos servidores nesse cargo.

O concurso planejado são para os cargos operacionais, não tendo previsão para agente, escrivão e papiloscopista, já que os salários e os treinamentos são os mesmos. A intenção é unificar o processo de ingresso no órgão, tendo maior regularidade na abertura dos concursos. Além disso, Boudens também apontou que é preciso reestruturar outro quadro de servidores, já que quase 70% dos cargos administrativos, que foram ingressos no último concurso, já deixaram o órgão.

[ATUALIZADA 29/06/16] O pedido solicitando liberação de verbas para contratação dos aprovados no Concurso da Polícia Federal PF 2016 foi feito no dia 9 de junho, mas ontem, 28 de junho, o processo avançou e se encontra na Coordenadoria Geral de Carreiras, Concursos e Desenvolvimento de Pessoas do órgão, ficando cada vez mais perto o início de um novo certame para delegados e peritos

Desde outubro de 2014, através de um decreto da Presidência da República, o órgão não precisa de autorização do MPOG para realizar novos concursos, pode iniciar sempre que o cargo de pessoal contar com defasagem de pelo menos 5% dos servidores. Mas, precisa saber das condições financeiras para preencher as vagas. Esta confirmação de recusos vem sendo discutida com o Ministério do Planejamento para que a seleção possa ocorrer o quanto antes.

A oferta é de 558 vagas, sendo 491 para delegado e 67 para perito. Ambas de nível superior em áreas específicas. Para delegado é preciso ter graduação em direito, com pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial, e que devem ser comprovados na data de posse. As remuneções para os dois cargos é de R$17.288,85, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

No último Concurso da Polícia Federal, realizado em 2012 realizado pelo Cespe/UnB, preencheu vagas prioritariamente nos postos de fronteira nos Estados: Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima. Mas as provas costumam ser aplicadas em todas as capitais, exceto o exame oral que ocorre somente em Brasília/DF.

Para perito, o concurso contou com provas objetivas e discursiva, testes de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica e análise de títulos. Os convocados foram submetidos a um curso de formação profissional. No caso de delegado, contou com provas objetiva e discursiva, exames de aptidão física, exame médico, avaliação psicológica, análise de títulos e prova oral, além do curso de formação.

[ATUALIZADA 02/06/16] Na última segunda-feira, 30 de maio, o pedido para liberação de verbas necessárias para realização do concurso da Polícia Federal (PF) já teve seus processos concluídos em dois setores do MPOG: Coordenação Geral de Carreiras, Concursos e Desenvolvimento de Pessoas (SEGRT) e Coordenação Administrativa de Suporte Técnico (Coast). Agora o processo avança para outros setores do Ministério para que o concurso seja aprovado.

[ATUALIZADA 23/05/16] Na última quarta-feira, 18 de maio, o concurso da Polícia Federal para 558 vagas de delegado e perito, registrou um novo andamento no MPOG, mas a demanda ainda permanece na coordenação da Secretaria de Gestão de Pessoas e Relações do Trabalho no Serviço Público (SEGRT). A expectativa é de que liberem o concurso, embora o novo governo não tenha divulgado nada sobre as seleções públicas.

[ATUALIZADA 20/05/16] Na última quarta-feira, 18 de maio, o concurso da Polícia Federal voltou a ser analisado pela Coordenação-Geral de Carreiras, Concursos e Desenvolvimento de Pessoas. O processo trata da consulta de verba para realização do certame que estava parado no MPOG desde janeiro deste ano.

CONFIRA O PROCESSO

A abertura do concurso é para recompor 500 cargos vagos de delegado e perito. Com isto, a intenção do órgão é de publicar os editais ainda em 2016.

De acordo com o decreto 8.326, publicado em outubro de 2014, a realização dos concursos para policiais não dependem mais da autorização do MPOG e podem ocorrer assim que constar necessidade de pelo menos 5% do total de servidores. Porém o decreto determina que o órgão encaminhe o documento ao Ministério do Planejamento, para que seja feito a consulta nas condições orçamentárias. O processo já está em fase final com o reenvio do processo ao Ministério da Justiça na última semana e a seleção não deve ser afetada pelos cortes orçamentários do Governo Federal.

Serão oferecidas 558 vagas, sendo 491 para delegado e 67 para perito. Para concorrer a vaga de delegado, precisa ser formado em direito e ter pelo menos três anos de atividade jurídica ou policial. Já para o cargo de perito é preciso ter nível superior em áreas específicas. As remunerações atualmente são de R$17.203,85, com jornada de trabalho de 40 horas semanais.

Como no último concurso para estes cargos, o preenchimento das vagas será nos postos dos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Matro Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia e Roraima, permitindo a remoção de servidores que atuam nestas localidades. Mas o preenchimento também pode ser feito em outras localidades, de acordo com a necessidade.

As provas costumam ser realizadas em todas as capitais e no Distrito Federal. Já o exame oral ocorre apenas em Brasília/DF.

Formas de Pagamento

85% de aprovação em concursos
SSL